terça-feira, 1 de maio de 2012

II Festival do Cangaço - Brilho de Lampião - Plínio Fabrício

´
Música de Plínio Fabrício "Brilho de Lampião" foi uma das canções finalistas do II Festival de Cangaço, realizado em Serra Talhada, dia 28 de abril de 2012 na Estação do Forró, antiga Estação Ferroviária

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Praça Padre Leão vista da Igreja



Vista da Igreja Matriz de São José, na gestão do Prefeito Silvio Carneiro. No canto esquerdo inferior, temos comércio do sr. Joventino Feitosa. Logo abaixo, o mercado de Chá Preto, atualmente mercadinho Cordeiro. Ao lado a antiga residência do sr. Zezito Caju, hoje loja de móveis e consultório dentista no primeiro andar, do seu filho Dr. Ricardo Rivelino. No outro lado da calçada, temos a sorveteria, que anos depois virou pizzaria e hoje é o bar Altas Horas. Um pouco mais abaixo, o primeiro andar da Farmácia Pereira, uma das primeiras da região, fundada em 1937. (Paulo Peterson)

Visão panorâmica de Custódia em 1970




A foto postada hoje, foi feita na gestão do antigo prefeito Sílvio Carneiro, apresenta fotos feitas a partir de um avião, com destaque para a Unidade Mista Elizabeth Barbosa, nessa época, com poucas residências ao seu redor.


Do lado esquerdo da foto, não existia ainda o curral, local onde aconteceram anos depois vaquejadas.


A avenida Inocêncio Lima, em sua subida rumo ao hospital, ainda tinha poucas moradias. As ruas e avenidas não eram calçadas.


No alto da foto, a estrada para o distrito de Quitimbu, antes passando pelo bairro do Iraque, na época com poucas casas, hoje chamado de bairro Redenção.

Avenida Inocêncio Lima (1970)


Visão quase que completa da avenida Inocêncio Lima em 1970, época em que não havia calçamento e poucas residências. A fábrica de Doces Tambaú, aparece no canto direito logo abaixo, nessa época, com uma estrutura bem pequena, porém já pioneira no estado.


Lei Orgânica Municipal de Custódia [1990]




A Câmara de Vereadores do Município de Custódia, no uso das suas atribuições que lhe foram conferidas no Art. 29 da Constituição Federal, votou e promulgou a Lei Orgânica do Município de Custódia Nº397/1990.


Preâmbulo

Os representantes do povo custodiense reunidos em Assembléia Municipal Constituinte, em cumprimento ao seu propósito de construir um grande Município baseado na liberdade, religião ou qualquer outra; certos de que a grandeza da Pátria e, mormente a do Município está na saúde e felicidade do Povo, na sua cultura, na observância dos direitos fundamentais da pessoa humana, na proteção especial à criança e ao adolescente, na equitativa distribuição dos bens materiais e culturais; cumprimento, também, que tais objetivos só podem ser alcançados com o modo democrático de convivência e de organização municipal, com repulsa a toda forma autoritária de governo, mediante a participação do Povo do processo político, econômico e social; sob a proteção de Deus, promulgam a seguinte Lei Constituinte do Município de Custódia: LEI ORGÂNICA MUNICIPAL DE CUSTÓDIA Nº 397/1990.


VEREADORES CONSTITUINTES:


JOSIAS LEANDRO DE MORAIS
(Presidente da Assembléia Municipal Constituinte)
ÉDEZIO RAMALHO DOS SANTOS
(Presidente da Comissão Interpartidária)
JOSÉ ESDRAS DE FREITAS GÓIS
(Presidente da Comissão de Sistematização)
WASHINGTON NESTOR AMARAL GÓIS
(Presidente da Câmara e Relator dos Trabalhos)
SEBASTIÃO ALVES DO AMARAL
(Relator da Comissão Interpartidária)
JOÃOZITO RODRIGUES DE MOURA
ANTONIO NUNES VALERIANO
DJANIRO JERÔNIMO DE REZENDE
ALZIRA TENÓRIO DO AMARAL
(Membros da Assembléia Municipal Constituinte)


Link do Art. 29 da CF:


Livro Caminhos do Afeto - Sevy de Oliveira




Em Caminhos do Afeto, a custodiense Sevy de Oliveira, narra de forma carinhosa a fase infanto-juvenil de sua vida em Custódia, do carinho por seus amigos, das festas e personagens da época, citados com todos os detalhes. Cita também sua passagem por Samambaia, onde foi designada interinamente para substituir uma professora por tempo indeterminado na Vila de Betânia. Leitura obrigatória para todos os custodienses.

Edições Bagaço
Rua dos Arcos, 150 – Poço da Panela
CEP: 52061-180
Recife-PE
Tel: (81) 3441-0133 / 3441-0134

domingo, 29 de abril de 2012

Pelo sinal do Sport - por Paulo Peterson



Como já comentei em outros textos, a paixão pelo futebol me acompanha desde infância, com as peladas na frente de casa, quando a Avenida Inocêncio Lima ainda era sem asfalto.  Esta paixão começou com meu pai Dr. Pedro Pereira Sobrinho, e se reforçou com o saudoso tio José Pereira Burgos, na época era carinhosamente chamado de “Buá”. 

Ambos foram responsáveis por ser torcedor do Sport Clube do Recife. Meu primeiro momento marcante como torcedor, foi em 1977, numa partida final contra o Náutico, jogo histórico com 140 minutos, duas prorrogações, finalizada já de madrugada, com Sport sagrando-se campeão com gol de Mauro. 

Naquela noite, vários torcedores foram acordar meu Pai para avisá-lo do gol do título. Lembro que fizemos uma carreata em plena madrugada pelas ruas da cidade.

Outro momento que dificilmente sai da minha lembrança, foi numa noite em que meus pais viajaram, e tive que dormir com minha avó Corina Pereira, no primeiro andar do prédio da Farmácia Pereira. Ela e minha tia Auta Lins, tiveram a missão de não deixar eu fazer xixi na cama durante a noite.

A cada duas horas de cochilo, elas me acordavam, para urinar, e em seguida fazer uma oração. Foi uma madrugada longa, não estava mais suportando tantas interrupções do sono e orações. 

Já quase com o dia raiando, fui acordado para mais uma vez esvaziar a bexiga, como já tinha feito orações do “Pai Nosso”, “Ave Maria”, “Credo”, “Salve Rainha”, restava rezar o “Sinal da Cruz”. 

Ainda sonolento comecei “Pelo Sinal da Santa Cruz...”, quando cheguei nessa parte, parei imediatamente de rezar, minha tia e minha avó olharam para mim espantadas, mandando continuar. Afirmei que não iria rezar essa oração. Elas ficaram perplexas com a minha atitude.

Vovó Corina não se fez de satisfeita e insistiu perguntando o porquê de eu não querer rezar o Sinal da Cruz.

Sem pensar duas vezes respondi:

- Vó, eu sou torcedor do Sport, como é que eu vou rezar para o Santa Cruz. Rezo não. (rs)

Paulo Peterson
Custódia, 30/12/2008

OVNI em Custódia



É assim que este incidente é contado pela filha de fotógrafos:

Esta foto foi tirada por meu pai, Edward Pline, numa serraria em Custódia onde nós vivíamos naquela ocasião. Acho que foi em 1929.

Eu tinha aproximadamente seis anos. Por alguma razão que desconheço, meu pai resolveu fotografar a serraria e quando ele estava tirando esta foto, houve um ruido que ele descreveu como um “berro atroador terrível”. No mesmo momento uma coisa grande e redonda se moveu pelo ar sobre eles. Você pode ver isto na foto.

Nenhum dos trabalhadores de serraria viu a coisa que aparece na fotografia, mas todos eles ouviram o som e sentiam o tremor de chão.

Meu pai só me contou sobre o incidente, alguns anos depois, por isto eu não consegui achar nenhum dos trabalhadores da serraria daquele tempo.

Procurei também informações sobre o incidente na Sociedade Histórica do Município, mas não achei nenhuma referência ao fato.”

Hetty PlineSlideWard, Colorado. Abril de 1929. 

Aluísio Ferreira da Silva - Brasilia



História do futebol Custodiense

Brasília foi e ainda é lembrado pelos que o viram jogar, o craque brilhou no futebol por onde passou, deixando sempre sua marca, às vezes positiva com muitos gols, às vezes negativa pela Indisciplina. Jogou por vários times em nossa região, era craque de bola e de muita polêmica. Considerado por muitos, como melhor jogador de Custódia nos anos 70/80 e 90, época em que o futebol na cidade era levado a sério.

O atleta chegou a jogar no futebol candango nos anos 70 pelo time do CEUB. O CEUB (Centro de Ensino Unificado de Brasília) foi um clube intermediário do Distrito Federal e do futebol brasileiro. Encerrou as atividades de futebol em 1976. Sua sede ficava no Distrito Federal.

Em sua época, foi um tempo do futebol arte, em que até os atletas amadores e profissionais jogavam por amor a camisa, jamais vai ser esquecido.

Nos anos 70, Brasília jogou em vários times de nossa cidade. Nesse período nosso futebol tinha grandes jogadores, como os irmãos Eli e Elione e o atacante Luciano. Na década de 80, o destaque era o jovem Franciélio, mais conhecido como “Esquerdinha”. A década seguinte apareceu craques como Valmir, conhecido por “Ziquinho” e o meio de campo Marcio Gleik. Atualmente o melhor jogador do município é famoso “Casinha”.

Surgiram grandes nomes do futebol antigo até o futebol atual, mais nunca mais surgiu um jogador técnico e com muita classe dentro de campo como Brasília, ele era um jogador completo apesar de ser polêmico. Teve passagem por vários times de Arcoverde, foi o maior destaque do time do Atlético Arcoverdense nos anos 80.

O craque de Custódia sabia tratar bem a bola, ele era um jogador perfeito, se fosse à época de hoje com certeza estaria em um grande time do futebol Brasileiro. Brasília tinha futebol para jogar em qualquer time profissional do Brasil ou do mundo. Naquela época, quem era de cidade pequena, era difícil ser visto. Hoje a tecnologia está muito avançada principalmente no futebol a onde se contrata jogador até através de DVD.

Aluisio Ferreira da Silva (Brasília), faleceu dia 18 de Junho de 1994, na cidade de Petrolina-PE, tinha 47 anos de idade. A última vez que esteve em Custódia foi em 1993, quando estava sendo realizado o campeonato Custodiense daquele ano. Jogou ainda uma partida de futebol, já com 46 anos, ainda sabia jogar muito.

Participou ainda de um jogo do Teimosão X Botafogo da redenção. O Teimosão era um famoso time composto por jogadores já fora forma e da faixa de idade. Na época o time da redenção venceu o conhecido time da elite Custodiense, pelo placar de 1 X 0, gol de Marcio Gleik. Parecia uma despedida. Assim que terminou o jogo Brasília deu a chuteira ao destaque do jogo, o goleiro Muskito, deu um dos meões a Márcio Gleik e o outro a Romério também jogador do Botafogo.

O maior jogador de Custódia em todos os tempos morreu assassinado, enquanto trabalhava como motorista da empresa de ônibus Transnova, na cidade de Petrolina, cidade onde residia e trabalhava até seus últimos dias de vida. Deixou quatro filhos.

Fica a saudade daquele que deu alegria a muitos desportistas de Custódia, quem viu jogar sabe disso e nunca esquecerá

TEXTO: JOSÉ ORLANDO DA SILVA

Custódia recebe 76 cisternas do Pro Rural



O município de Custódia recebeu nesta sábado (28), do Governo de Pernambuco, através do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável – ProRural, 78 cisternas

O Secretário Executivo de Tecnologia Rural e Programas Especiais e gerente do ProRural, José Patriota, esteve na comunidade rural  do Sítio Carvalho entregando oficialmente as obras às famílias beneficiadas do Sertão do Moxotó. Com financiamentos no valor de R$ 132 mil, a ação é fruto de convênio entre o governo do Estado e o Ministério do Desenvolvimento Social.

Amannda Oliveira (Blog Falando Francamente)

sábado, 28 de abril de 2012

André Campos - "Saudades do Amigo"



Na sua Plena função
Esse jovem foi ferido
Trocando, tiros com bandido
Com sua arma na mão
Caiu ferido no chão
Veja o destino que é!
Vamos aplaudi-lo com fé
Guerreiro, bravo e astuto
Custódia amanheceu de luto
Com a morte de ANDRÉ"


Recitado/Autor: Laércio Siqueira “ ALAÔ”, em 28/10/2011

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Traços e Retraços - por José Carneiro


Por José Carneiro

Aqui vão alguns traços e retraços do tempo da infância e adolescência vividos na minha terra natal. São vozes do passado ecoando no presente. São lembranças antigas, agora revividas. São vozes e lembranças de ontem, hoje repassadas de saudade. São auroras e crepúsculos a que assisti da janela do meu mundo interior. São, enfim, imagens de um tempo encantador, que se foi e não volta mais, mas permanece na minha memória e no fundo do meu coração.

Nasci em Custódia nos idos de 1929. Já lá se vão oitenta e duas primaveras! Nela vivi, intensamente, até 1955, quando parti em busca de outros mundos. Agora, depois de tanto tempo, por obra e graça da força telúrica, eis-me de volta ao meu lugar. Doce reencontro!

Dos preparativos e realização da primeira comunhão, sob o ministério do padre João Amâncio, guardo uma das maiores emoções de minha vida, conservando, no fundo da alma, a magnitude daquela bênção sacramental. Padre Amâncio, como era chamado, é personagem completamente esquecida na história de Custódia. Era um homem corpulento, de feições grosseiras, sisudo por natureza, mas exemplar sacerdote e de uma fé inabalável.

A minha primeira professora, Veneranda Goes, tratada carinhosamente por Sinhá Goes, era uma mestra inata e dedicada ao magistério. Sentia-se orgulhosa em dizer que foi minha primeira professora e responsável pela minha alfabetização. Alta, vistosa, esbelta, andar garboso e, sobretudo, elegante no trajar. Foi uma das mais bonitas vitalinas da cidade. Lamentava não ter casado e disso não se conformava. Eu gostava muito dela e fazia questão de demonstrar meu afeto e gratidão.

A escola foi o centro da minha infância. Gostava verdadeiramente da vida escolar e das atividades letivas. Não obstante, nunca fui um aluno estudioso, embora qualificado acima da média da classe. Era mais afeito a leituras não didáticas e inclinado à literatura, escrevendo e declamando poesias. Lembro-me de algumas professoras primárias, destacando: Jucy, de Vitória de Santo Antão, baixinha, rechonchuda, graciosa, alegre e simpática. Ensinava bem; Irma, do Recife, alta, magra, morena, feiosa, de pouca conversa e estrábica. De uma austeridade fora do comum. Tinha como dama de companhia sua prima Lurdes, de linguajar, trejeitos e comportamento fora dos padrões do tempo e do nosso meio social; Ivete Matos, de Pesqueira, alta, magricela, morena, calada, carrancuda e indiferente a tu do e a todos. Teve hospedagem na casa de Dona Anita Remígio. Num dos magníficos dramas de Padre Duarte, fez dueto com Nildo Nino numa bela canção matuta, que falava numa casa bonitinha lá no alto dos oiteiros; e, por fim, Corsina, de Pesqueira, de todas a mais formosa. Alta, alva de olhos azuis, elegante e com características aristocráticas. Intelectualmente preparada e de educação esmerada. Usava óculos. Caiu na simpatia de todos. Era tia do Desembargador Fausto Freitas. Também me lembro de alguns colegas de classe e contemporâneos, mencionando, entre muitos: Milton Aleixo, filho de Heleno Aleixo e Dona Ernestina, minha tia pelo lado materno, magro, rosto anguloso, nariz adunco, canhoto, feioso mas simpático, inteligente e dos primeiros da classe. Foi o companheiro de infância com quem mais convivi, pois, além de primo, tínhamos muita coisa em comum. De forma inusitada deixou Custódia e partiu para São

Paulo, onde vive em completo anonimato, sem dar notícia a ninguém deste mundo;

José neto, Noêmia e Joany Pereira, filhos de Joaquim Pereira e Dona Corina, formavam um trio harmonioso em comportamento, educação e formação doméstica. Zé Neto foi outro companheiro com quem sempre mantive um vínculo forte de amizade, apesar do seu exótico temperamento, e, quanto a Joany, há muito a se contar; Ernesto Queiroz Júnior (Ernestinho), José Elídio de Queiroz (Zito), filhos de Ernesto Queiroz e Dona Maria Josefina, sempre se destacaram dos demais, não tomando parte direta na vida simplória da meninada da fuzarca; Francy Moura, irmã de Maurina e Elvira Moura, filha de seu Nequinho Moura, a finura em pessoa. Calma, modesta, simpática, era a mais inteligente da classe, disputando o primeiro lugar com Joany Pereira; Elizeu e Osmaldo, filhos de José Marinho e Dona Olívia, eram de comportamentos arredios, sem nenhuma ligação com os modos e costumes da época, talvez por conta da rigidez educacional adotada pelo pai, Zé Marinho, como era conhecido, irmão de Né Marinho. Era um homem retraído, tendo se mudado de Custódia repentinamente, por razões ignoradas pela população, não se sabendo do seu paradeiro; Valdemar Pires, filho de João Pires e de Dona Candóia, era um menino que fugia à regra geral, notadamente por não se misturar aos demais; José Lopes e Zefinha Lopes, filhos de Manoel Lopes e Dona Isaque Lopes, modestos e reservados; Zélia Sá, filha de Zé Major e Dona Firmina, irmã de Socorro e Nizinha Sá, morena, prestativa, a bondade e simplicidade em pessoa; Cacilda Andrade, filha de Dona Olindina, morena, farta cabeleira, olhos vivos e brilhantes, de hábitos simples e serenos; e, para encerrar, Odete Ferreira, filha de Chico Ferreira e Dona Loló, irmã de Ceci, Eliete e Netinha, graciosa, risonha e calma, parecia que estava fora do mundo. No mais, fiz o que era comum à maioria dos meninos da mesma faixa etária naquela época: soltei balão, empinei papagaio de papel, joguei pião e castanha, cacei passarinho com baladeira, brinquei de peia queimada, fiz açudes nas enxurradas, esquipei em cavalo de pau, etc.... etc....etc...., mas, para ser franco, o que mais eu gostava era de tomar banho de chuva com o bando em alvoroçada disparada.

Da minha terna cidade
Onde vivi toda infância
Eu guardo ainda a fragrância
Do verdor da mocidade
Hoje lembro com saudade
Dos sonhos que sonhei nela
Naquela quadra tão bela
Que trago sempre presente
De Custódia vivo ausente
Mas nunca me esqueci dela.

A mocidade vivi toda ela em Custódia e, excetuando a política, me envolvi, emocionalmente, de corpo e alma, em todas as manifestações artísticas, sociais e populares, evidenciando: representações teatrais, serenatas nas noites de luar, namoradas sem conta, danças a valer, folias carnavalescas, festejos de toda ordem, enfim, tudo aquilo que era bom e proporcionava alegria e prazer. Mas, do que mais eu gostei, foi do primeiro beijo da primeira namorada. Ainda hoje sinto o gosto dele!

Saudade doce lembrança
Do tempo da mocidade
Quando tudo era alegria
Amor e felicidade
Agora no fim da vida
Como é amarga a saudade!

Semifinal da Copa CLRC de Futsal 2012



Dois super jogos ontem à noite na quadra do CLRC, pela semifinal da Copa CLRC de Futsal. No primeiro jogo a Odebrecht venceu o Cruz Azul por 7x5. O segundo jogo, o time da Santa Ana venceu por 9 x 3 o Novatos Futsal.
Mais detalhes e informações, acessando: http://www.joesportes.net/

Sexta Mob - dia 27/04/2012


Pouco mais de 72 horas pro SEXTA MOB, - segundo evento da Insanos Produções - que contará com a participação de três bandas. A Doppamina(Serra Talhada) e No Clear(Afogados da Ingazeira), que estiveram em 2011 na grade do Manifesto Rock, e a Hazamat(João Pessoa), a banda de causas e que transpira uma admiração tremenda pelo nosso sertão.

É isso aí, 27 de abril, às 20h00 vai ser mais um "dia de rock bebê". Não percam.

"Cantando a gente faz história. Foi gritando que eu aprendi a cantar: sem nenhum pudor, sem pecado. Canto pra espantar os demônios, pra juntar os amigos. Pra sentir o mundo, pra seduzir a vida." Cazuza

Serviço:

Local: Centro Lítero Recreativo de Custódia (Rua João Veríssimo, centro)
Horário: 20h
Preço: R$ 5
Com as Bandas: 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Janúncio de Custódia - Festa de São José 2012 (vídeos)

Abertura da Festa de São José 2012

Esse alguém sou/O fim da linha

Custódia meu berço

Assim você me mata

Quem ama cuida

Conjunto Seo Seba


Esquerda para direita: 1: Seu Lucas 2: Zé Viana: ao fundo Toinho dos Flores( Fulô)


Vocal: Paulo Félix Guitarra: Joãozinho Sax tenor primeiro sax: Seba

Janúncio de Custódia - Biografia & Discografia



Oi pessoal, aqui quem fala é o forrozeiro ‘Janúncio de Custódia’. Cantor e compositor, nascido no sertão do Moxotó, na cidade de Custódia, no sertão pernambucano. Desde muito cedo venho batalhando por aí e mostrando meu trabalho como compositor e intérprete. Desde criança já tinha o dom pela música regional nordestina, cresci ouvindo e cantando as canções do velho “Lula Gonzaga“, “Jackson do Pandeiro“, “Trio Nordestino“, entre outros. Quando atingi meus 16 anos de idade, fui convidado à cantar em uma banda, tornando-me vocalista de várias bandas do nordeste, onde aprendi a gostar também do forró estilizado. Porém, sem perder a fidelidade pela música de raiz (forró pé-de-serra).



Janúncio de Custódia – Novidade no Forró (1º CD)

Esse é seu primeiro CD, chamado “Novidade no Forró“, lançado no mercado em 2000 . Foi a primeira vitória da grande batalha que continuo travando por esse “mundão de Deus”. Esse cd contém 14 faixas, destacando-se a faixa 1 – “esse alguém sou eu”- a qual mais tarde seria regravada pelo cantor de brega ‘Aroldinho do Recife‘ e também por ‘André Viana’, e interpretada por artistas e bandas nacionalmente conhecidas como: Calcinha Preta, Banda Aquários, Magnificos, Forrozão Arizona, Forró Moral, Kelvins Duran, Betão, Forró Kentão e Cicinho do Acordeon e muitos outros. Ja temos outras músicas deste mesmo trabalho que vem se destacando em todo país como: Meu Anjo, Sai de Mim,Meu vaqueiro, Teu Ciúme.

1.Esse Alguém Sou Eu (Janúncio Custódia)
2. Eu Quero Te Amar (you are my love – Roger Scott Graig/ Willian Kinsley) (Versão- Janúncio Custódia)
3. O Vaqueiro E O Boi (Janúncio Custódia)
4. Vontade De Te Amar (Janúncio Custódia)
5. Vaqueiro Afamado (Janúncio Custódia)
6. Meu Anjo (Janúncio Custódia)
7. Chega De Saudades (Janúncio Custódia)
8. Teu Ciúme (Janúncio Custódia)
9. Sai De Mim (Janúncio Custódia)
10. Orgulho Nordestino (Janúncio Custódia)
11. Doidim Por Ela (Janúncio Custódia)
12. Rei Da Estrada (Janúncio Custódia)
13. Cachaça Neu (Rui Grudi – Itagiba Marcolino)
14. Meu Vaqueiro (Janúncio Custódia)



Janúncio Custódia – Xote e Forró Pé-de-Serra (2º CD)

No meu segundo trabalho, encontrei um grande problema chamado ‘produção independente’, onde a maioria dos artistas sofrem, principalmente os nordestinos. Até porque a maioria vem da inclusão social e precisam de patrocínio de empresas e amigos para que possam expor seu potencial artístico. Mas, tive bastante sorte, por Deus colocar no meu caminho musical, um amigo-irmão, artista, instrumentista, produtor musical chamado ‘Cicinho do Acordeon’. Um cara que considero o meu grande mestre. Com ele aprendi muito e gravei, até hoje, o meu 1º, 2º e 3º cd’s. Daí comecei a definir realmente meu estilo musical, o forró pé-de-serra, conhecendo grandes compositores e artistas, e passando a fazer parte dos grandes encontros musicais no norte-nordeste. Sempre procurei diversificar, mudar sempre pra melhor. Conseguimos destacar nesse segundo trabalho, músicas como: “Saudades do Moxotó“, “Vaqueiro Apaixonado“, “São João, Fogueira e Forró“, passando assim a convivermos com a mídia local e regional.

1. Carente De Amor (Zé Caboclo)
2. No Caminho Da Solidão (Edmilson Silva)
3. Saudades Do Moxotó (Severo Paulino/Janúncio Custódia – Ed.Sonocom)
4. Amor Gostoso (Janúncio Custódia – Ed. Sonocom)
5. Ave Sem Ninho (Janúncio Custódia – Ed. Sonocom)
6. Mandacaru (Janúncio Custódia – Ed. Sonocom)
7. Vem Conhecer Meu Sertão (Severo Paulino)
8.Aconchego Danado (Severo Paulino)
9. São João, Fogueira e Forró (Janúncio Custódia – Ed. Sonocom)
10. Miragem (Vanildo de Pombos)
11. Sanfoneiro Puxa O Fole (Janúncio Custódia)
12. É Bode, É Bode (Janúncio Custódia)
13. Festa Do Boi (Severo Paulino)
14. Vaqueiro Apaixonado (Janúncio Custódia – Ed. Sonocom)



Janúncio de Custódia – vaquejada e forró pé-de-serra (3º CD)


Este terceiro trabalho não foi diferente dos demais. Exigiu bastante de todos nós, depois de todo trabalho de estúdio pronto. Tivemos que procurar novamente os amigos patrocinadores. Graças à Deus conseguimos e, hoje (fim de 2007), já vendemos em torno de 8 mil cópias na produção independente. Pra nós uma vitória, sem dúvida. Consegui parceria com grandes compositores, como ‘Anchieta D’ali’, ‘Junior Vieira’, ‘Xico Bizerra’, ‘Flávio Leandro’, ‘Genivaldo Soares’, ‘Betão‘, entre outros. Porém, a dificuldade segundo meu amigo radialista ‘Ivan Ferraz’ é justamente a divulgação de um trabalho; até porque gravar é fácil.

Mais uma vez tenho Deus olhando por mim. Consegui que meu disco fosse distribuído por todo o nordeste através da ‘Polydisc‘ e da ‘Aky Vídeo’. Hoje pode-se encontrar meus discos em todas as lojas, shoppings e até em camelôs. As músicas de destaque deste trabalho são: “Se Tu Quiser” , “Percorrendo O Nordeste“, “Mulher De Short Apertado“, “A Natureza Das Coisas“, “Saudade Derradeira“, “Que Esse Amor Seja Você“, “Anjo Da Guarda“. Na verdade, só tenho a agradecer a todos que, direta ou indiretamente, nos ajudam em toda essa busca; às casas de shows e cidades com seus eventos em todo o nordeste, muito obrigado, e que Deus nos conceda o volume 4.

1. Vaqueiro Abandonado (Betão)
2. Do Tamanho da Paixão (Janúncio de Custódia)
3. Se Tu Quiser (Xico Bizerra)
4. Percorrendo o Nordeste (Zezinho de Garanhuns)
5. A Natureza das Coisas (Accioly Neto/ED. LALU)
6. Que Esse Amor Seja Você (Janúncio de Custódia)
7. Vem Ficar Comigo (Janúncio de Custódia)
8. Saudades de um Rei (Rodrigo Patriota)
9. Caco de Amor (Júnior Vieira)
10. Anjo da Guarda (Flávio Leandro)
11. Estradar (Anchieta Dali)
12. Saudade Derradeira (Janúncio de Custódia)
13. Tangendo a Dor (Xico Bizerra)
14. Mulher de Short Apertado (Genivaldo Soares)
15. Forró em Betânia-PE (Cicinho do Acordeon – instrumental)
16. Estou de Passagem (Mazinho)

Contatos:


Zé Caboclo - Só lembrando de Custódia


Letra: José Melo – Música: Zé Caboclo de Custódia

Ai que vontade danada
me aperreia o coração
De voltar lá pra Custódia
no primeiro caminhão
e rever a minha terra
e abraçar o meu rincão

Já com dois anos distante
da minha terra querida
sem ver os meus parentes
to perdendo a minha vida
vou sonhando dia e noite
com o dia da minha ida

Quando eu chegar em Custódia
Vou correndo pro Sabá
Tomar um banho na fonte
com uma caninha do bar
tira gosto de laranja, caju e umbu-cajá

Vou tomar uma lapada
Lá no bar de sêo Chiquim
Com uma costela de porco
Que ele faz para mim
e falar da vida alheia 
na esquina de seo Joaquim 

Vou também rever a feira
e as barraca de café
e comprar laranja doce
na  banquinha de mazé
comer xerém em Pretinha
e depois tomar rapé

Passo no café da hora
e vou na feira do gado
olha bode, porco e vaca
recordar o meu passado
Só lembrando de Custódia
me sinto mais animado

Vou tomar uma lapada
Lá no bar de sêo Chiquim
Com uma costela de porco
Que ele faz para mim
e falar da vida alheia 
na esquina de seo Joaquim 

Vou também rever a feira
e as barraca de café
e comprar laranja doce
na  banquinha de mazé
comer xerém em Pretinha
e depois tomar rapé

Passo no café da hora
e vou na feira do gado
olha bode, porco e vaca
recordar o meu passado
Só lembrando de Custódia
me sinto mais animado

Convenção da Arena


Sebastião Oliveira – na época Prefeito de Serra Talhada, Djalma Bezerra, então Prefeito de Custódia, José Rodrigues, então Prefeito de Triunfo, Luizito – candidato a Deputado Estadual,Gustavo Krause, governador em exercício na época, entre outros. 

O evento foi a convenção da ARENA, quando Luizito foi candidato a Deputado Estadual. O candidato a Governador foi José Múcio.


Foto: Blog Custódia Terra Querida
Colaboração: José Soares de Melo.

Panorâmica da Serra da Torre



Mais uma bela foto, visão panorâmica da Serra da Torre, na Serra do Sabá. Para quem não sabe, um dos pontos mais altos do estado de Pernambuco, além de ter um visão belíssima de toda Custódia e região.

Foto: André Campos

Lotação Custódia-Sertânia


Quem se lembra do misto de Deusinho, que fazia a linha Custódia/Sertânia - etc. (Chico Elizeu)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Associação Comunitária Cultural de Custódia - ACCC




A Associação Comunitária Cultural de Custódia - ACCC, fundada em 08 de agosto de 2011, tem como presidente o Sr. Antonio Galdino da Silva Filho, o popular Galdino da Banda que muito se empenha no desenvolvimento de projetos sócio educativos na área de socialização e comunitarismo, onde junto com a comunidade carente de Custódia, tem como objetivo combater a ociosidade evitando assim com que as crianças, adolescentes e jovens aproximem-se de drogas e alcoolismo, vícios e prostituição, que são os grandes males que atingem nossa população atualmente. A ACCC tem como meta o resgate da cultura popular de nosso Estado, resgatando e criando novos grupos culturais a ACCC vem desenvolvendo um trabalho árduo a mais de 20 anos, desde o inicio como ainda não era regularizada como associação, mas está na história da cultura de Custódia como a BAMUC - Banda Musical Unificada de Custódia, onde foram desenvolvidos diversos projetos em prol da cultura pernambucana em especial na área de musica instrumental.






Ao longo dos seus mais de 20 anos a BAMUC que hoje com a regularização passou a ser denominada de ACCC, se tornou um patrimônio assim como os outros grupos pertencentes a ela. Sendo parte do PROJETO TOQUE onde há a necessidade de desenvolver diversas oficinas como: Banda Musical/Marcial, Grupo Percussivo Batuketto, Grupo de Danças FREVARTE, Coral Vozes do Sertão, Time de Futebol Alvorada F.C., Grupo de Artes Marciais Defesarte, Bloco Carnavalesco Arroxe o Nó, e outras diversas oficinas nos vários segmentos da cultura tradicional. 

A ACCC vem junto com a comunidade aos vários setores da sociedade e dos demais poderes públicos lutar contra a falta de apoio e o não cumprimento da lei de apoio e incentivo a cultura em suas diversas formas e nas leis vigente em nosso pais, Estadomunicípio, sabendo que é difícil sua caminhada ela conta apenas com a vontade da comunidade onde foi declarada Entidade de Utilidade Pública, pela casa dos conselhos existente em Custódia, com o apoio do Conselho de direito e defesa da criança e adolescente. A ACCC sofre com o descaso e a falta de sensibilidade com a Cultura, em especial com a cultura popular, onde estão nossas origens e identidade, mesmo assim continuamos trilhando nosso caminho sabemos que é árduo mais que sabe um iremos alcançar e mostrar a todos que nossa luta não foi em vão! 

Esse ano já foram desenvolvido os projetos: Projeto Mascarados, com a confecção de diversas mascarados, Projeto Grupo Percussivo BAtuketto (formação de uma Escola de Samba), Projeto FREVARTE - Grupo de passistas de Frevo, Bloco Carnavalesco Arroxe o Nó e estamos nesse momento desenvolvendo o Projeto Toque com a formação de novos instrumentistas.

Fabiana Lopes - Monólogo


Vídeo da modelo e atriz Fabiana Lopez, custodiense radicada em São Paulo.

Baú do Zé Melo


Ele é um dos mais lidos colaboradores do blog Custódia Terra Querida, seus textos são sempre elogiados, pela qualidade, pelos detalhes e pelo rico conhecimento à cerca de episódios vividos pelo redator em sua cidade natal. Seus relatos narram desde fatos políticos, passando por lugares, personagens locais entre outros assuntos. Isso lhe credencia como um dos mais importantes historiadores da atualidade de Custódia: 


José Soares de Melo, ou Zé Melo


Textos Publicados:

Retalhos de Lembranças 
Bar o Ponto Certo
As festas de fim de ano
Foto da Rua Manoel Borba em 1970
Antonio do Junco
O bom de memória
Revolução tecnológica
São João em Custódia
Relembrando os Ardentes
Ainda mais sobre PC Farias em Custódia
Jornal Custodianas
A hora do Ângelus
Rios da Minha Vida
Eu e o Rei (Luiz Gonzaga)
Comentários
Letra de Só Lembrando de Custódia
O Rádio em Custódia
Zé Preto
Fanca e os Ardentes
O Milagre sem Santo
É mentira Terta?
Velhos Carnavais
Paulino Caititu
O Causidíco
O outro lado da moeda
Volta ao passado - Família Carneiro Farias de Souza
Perfil: José Pereira Burgos
Cacimba Nova
Alaíde do Bloco do Cariri
Pedro Maraváia
Doca
Perfil: Zé Biá
Carinhoso
Perfil: Adamastor Ferraz de Oliveira
Gerson Gonçalves – ícone do empreendedorismo
Posse de Luizito como Deputado Estadual 
Gafe de Zé Melo durante Jecana
Jogos nem tantos inocentes
Parabéns Para o Prefeito
Dia de Horror
Alma Pornográfica
Capitão
Comissão, Ataque e outros termos

Para acessar todos os textos do colaborador, selecione o link e cole em outra janela em seu navegador: 

http://www.custodia-pe.blogspot.com/search/label/Artigos%20Jos%C3%A9%20Melo

Fotos autorais da Igreja Matriz de São José


Essa foto tirei em dezembro no dia do casamento de Alan e Angelica, de dentro da Igreja Betel. (Klebson Alves de Oliveira)


Publicada em seu perfil do Facebook pelo colaborador Jorge Remígio.

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes